Vodafone Rali de Portugal com 89 equipas inscritas

Se Portugal está cada vez mais na moda, a ronda portuguesa do Campeonato do Mundo de Ralis há muito que é uma das preferidas entre pilotos e marcas marcam presença na prova do Automóvel Club de Portugal, que este ano conta com 89 inscritos.

A edição 2018 do WRC Vodafone Rally de Portugal é aguarda com grande expetativa por todos os adeptos de ralis: conseguirá o atual campeão do mundo, Sebastien Ogier, derrubar o recorde de cinco vitórias consecutivas em Portugal, alcançado há 30 anos por mítico Markku Allen?

A resposta chega entre 17 e 20 de maio nos troços do norte do País na 5ª ronda do mundial de ralis, uma das mais atrativas do campeonato e responsável em 2017 por um retorno económico para a região de 137 milhões de euros.

Para o enorme sucesso desta prova, disputada há 4 anos na região norte, o contributo do Turismo do Porto e Norte e das autarquias onde a prova se disputa é um pilar decisivo para a continuidade do campeonato do mundo de ralis em Portugal.

A Exponor, em Matosinhos, permanece como sede da prova, palco das verificações administrativas e técnicas, do parque de assistência e da maior parte das partidas e chegadas. Com entrada gratuita de quarta-feira a domingo, será o local perfeito para o público poder ver bem de perto as máquinas do WRC e contactar com os pilotos.

O primeiro dia de prova, quinta-feira 17 de maio, começa em Paredes com o Shakedown, o derradeiro teste para os pilotos e os carros, antes da cerimónia de partida oficial em Guimarães, no Campo de São Mamede. Dali, o pelotão segue para o Circuito de Lousada para a única Super Especial do rally, onde acontece o primeiro momento de competição da prova.

Sexta-feira, 18 de maio, a edição é disputada quase toda nos troços do Alto Minho, com dupla passagem pelos troços de Viana do Castelo, Caminha e Ponte de Lima, todos eles a sem alterações face ao ano anterior. O final do dia faz o rally regressar ao centro da cidade do Porto. O Porto Street Stage surge com um percurso renovado, dois anos após a estreia: arranca na Sé do Porto, subindo depois junto à Estação de São Bento e à Brasileira para voltar a levar as emoções do Mundial de Ralis à Avenida dos Aliados. Daí, os carros sobem até à Torre dos Clérigos para terminarem os 1,95 km de especial em frente ao Tribunal da Relação.

O dia de sábado arranca com a classificativa de Vieira do Minho, seguindo para Cabeceiras de Basto, na Serra da Cabreira, e, como é já tradição, a incontornável classificativa de Amarante, que com os seus 37,6 km, volta a ser a Especial mais longa e uma das mais exigentes do rally.

O último dia de prova é uma homenagem do Rally de Portugal e do Automóvel Club de Portugal ao concelho de Fafe, palco de todos os troços de domingo. Além da tradicional dupla passagem pela classificativa de Fafe-Lameirinha, a última das quais disputada sob o regime de Power Stage, os troços de Montim, este ano com duas passagens, e Luílhas voltam a fazer parte integrante do programa.

A cerimónia de pódio volta a ter lugar na Marginal de Matosinhos junto do muito público para uma grande festa final.
Share on Google Plus

MaisRalis

Envie suas noticias para maisralis.madeira@gmail.com

0 comentários:

Postar um comentário