ERC, Rali Barum Zlín: Jan Kopecký vence; Magalhães em nono

Triunfo de Jan Kopecký no Rali Barum Zlín, ronda da República Checa do Europeu de Ralis (ERC). O homem do Skoda passou para a frente de Alexey Lukyanuk logo na especial que deu começo à tarde de domingo e nunca mais largou a liderança. Dani Sordo fechou o pódio e Bruno Magalhães foi o melhor português na nona posição final.

Depois de durante a manhã Kopecký reduzir substancialmente a sua desvantagem para Lukyanuk (Ford), o checo acabou mesmo por assumir o comando na PEC 13 que deu início à tarde (Halenkovice 2). O piloto fez o mesmo tempo do compatriota do Skoda Miroslav Jakeš no topo do troço em que se seguiram Chris Ingram e Fabian Kreim em Skoda, com Jan Černý (Ford) em quinto e Lukyanuk em sexto. O russo caiu para segundo e ficou a 1,7s do comando.

Com o sétimo tempo, Sordo (Hyundai) ganhou cinco segundos exactos a Nikolay Gryazin (Skoda) e ascendeu a terceiro na geral. Mais atrás, Magalhães teve dificuldades motivadas pela escolha de pneus e não foi além de 16.º, registo mais do que suficiente para continuar em décimo no rali. Monteiro foi 39.º e manteve-se em 35.º na classificação.

Na segunda passagem por Maják, Kopecký voltou a ser o mais rápido, desta feita 1,1s na frente de Kreim, com Ingram em terceiro, Filip Mareš em quarto e Sordo em quinto reforçando assim o terceiro posto da geral. Lukyanuk rubricou a sétima marca e ficou 5,8s atrás do líder do rali, Kopecký. Vitimado por uma escolha de pneus inadequada, Magalhães sentiu novamente dificuldades e rubricou a 13.ª marca, mas manteve-se em décimo nas contas do rali. Com o 38.º registo, Monteiro ascendeu a 33.º.

Jakeš levou de vencida na derradeira classificativa do rali (Kašava), com Ingram em segundo e Kopecký em terceiro. O checo ‘carimbou’ assim o triunfo 7,5s na frente de Lukyanuk, que na PEC 15 foi o quarto na frente de Kreim. Com o sexto tempo, Sordo selou o lugar mais baixo do pódio, ao passo que Gryazin ainda perdeu o quarto posto final para Jakeš.

Magalhães foi autor do 13.º registo e ainda subiu ao nono lugar final graças ao abandono de Mareš. O luso não escondeu a sua satisfação por ter cortado a meta: “O positivo é que terminámos o rali sem acidentes. Foi um rali muito difícil, devido à chuva foi um rali completamente estranho. Ganhámos experiência e aprendemos muito. Julgo que a Polónia é quase impossível, mas tentaremos”. Nesta altura, Monteiro ainda não tem uma classificação final, dado que ainda não completou a 15.ª especial.

Mais em Autoracing.pt
Share on Google Plus

MaisRalis

Envie suas noticias para maisralis.madeira@gmail.com

0 comentários:

Postar um comentário