Troféu de Rampas: Paulo Mendes vence no Porto Moniz em que Dinarte Nóbrega revalida o título

A dupla Paulo Mendes/Roberto Figueira, a bordo do Porsche 991 GT3, venceram, nesta tarde de sábado, dia 13, a sexta rampa pontuável para o Troféu de Rampas da AMAK 2018. No segundo posto ficou Nelson Andrade, num Semog Evo, e fechou o pódio Dinarte Nóbrega, também num Semog EVO. Nóbrega que conseguiu, com o terceiro lugar averbado, revalidar o título de campeão regional de rampas do troféu AMAK. 

A Rampa da Santa começou na sexta-feira com os pilotos a realizarem a prova de espetáculo na vila do Porto Moniz. 

José Jarimba foi o grande azarado. O piloto não conseguiu evitar um ligeiro toque, fazendo com que a especial tivesse que atrasar. Deste toque, resultaram dois feridos ligeiros, um do sexo masculino e outro do sexo feminino, que assistiam à prova. Os feridos foram atingidos por peças projetadas pelo Toyota Starlet de Jarimba e por um sinal de trânsito. Felizmente, e graças à rapidez com que as equipas de emergência chegaram ao local, os dois feridos foram assistidos no local e posteriormente transportados para o Centro de Saúde de São Vicente, por precaução. 

A verdadeira prova começou esta manhã, com os pilotos a realizarem, às 9h00 e às 10h45, as duas subidas de treinos livres. Paulo Mendes vencem ambas, deixando Nelson Andrade a mais de 10s de vantagem.
Mas os verdadeiros tempos fizeram-se a partir das 12h00 com os pilotos a efetuarem a primeira subida oficial. Como já tínhamos assistido nas subidas de treinos, Paulo Mendes venceu também as subidas oficiais.

A primeira subida oficial ficou marcada por duas desistências, ambas por despistes. Esta subida oficial ficou marcada pela forte chuva e pouca visibilidade. A chuva marcou a edição deste ano da Rampa do Porto Moniz.

O campeão em título, Dinarte Nóbrega, não evitou um toque quando se dirigia, em troço de ligação, para a especial de classificação. Apesar dos danos causados, o Semog EVO do piloto foi recuperado e conseguiu completar as restantes subidas. 
Já a dupla Sandro Fernandes/Tiago Rocha, a bordo do Citroen Saxo Cup, embateu, com alguma violência, tendo o troço ficado neutralizado por algum tempo. Apesar do forte embate e do princípio de incêndio, a dupla, felizmente, não sofreu quaisquer ferimentos físicos. 

Nas restantes subidas, os dois primeiros lugares nunca se alteraram. Paulo Mendes venceu todas as restantes subidas e Nelson Andrade registou sempre o segundo tempo à geral. Na classificação final, Nelson Andrade ficou a mais de seis segundos do piloto do Porsche. 

Destaque para a luta pelo terceiro lugar. Nas quatro subidas oficiais, foram três os pilotos que registaram o terceiro tempo, sendo que Dinarte Nóbrega foi quem conseguiu assegurar o terceiro e último lugar do pódio, na última subida oficial. José Jarimba, Dinarte Nóbrega e Bruno Fernandes foram os pilotos que registaram os terceiros tempos, nas diferentes subidas oficiais. 

Miguel Andrade voltou à competição e ficou num excelente quinto lugar à geral, deixando viaturas bem mais competitivas para trás. Uma excelente prova para o piloto que já não participava desde 2016. A evolução na viatura foi notória, estando o Renault 5 GT Turbo muito competitivo.  

Quem também voltou à competição foi André Silva. Nesta participação esporádica, Silva registou o nono lugar. O piloto obteve o melhor tempo na quarta e última subida oficial e venceu por entre os Citroen C2. Nesta rampa, André Silva teve Pedro Faria como seu principal adversário. Faria que no Rali do Nacional e nesta rampa trocou o Opel Ascona pelo Citroen C2, a convite da equipa NP Publicidade.

A Rampa do Porto Moniz marcou a estreia de Bruno Fernandes com a sua mais recente aquisição, o Citroen DS3 R3T. O piloto adaptou-se bem ao carro, registando o terceiro tempo na terceira subida oficial. Na classificação final terminou no quarto lugar à geral.  numa prova registada por condições climatéricas difíceis, em especial na primeira subida oficial.

Esta prova marcou a estreia de duas duplas neste desporto automóvel. Bruno Rocha/César Silva, num Toyota Yaris, e Carlos Fernandes/Cristina Fernandes, num Fiat Cinquecento.  

Bruno Rocha, assistido pela estrutura da BF SPORT, registou o melhor tempo na primeira subida oficial, averbando um 16ª lugar à geral nessa subida. Na classificação final ficou no 25ªlugar. Já Carlos Fernandes, que fazia esta estreia com a sua esposa, no pequeno Cinquecento (Pertença de André Alves), ficou no 28º lugar com o tempo de 06:05:892, averbado também na primeira subida oficial. 

De entre as desistências, foram três, as registadas. Para além da já mencionada anteriormente, por despiste, Sérgio Jesus (Semog Evo) e Belarmino Sousa/Hugo Silva (Toyota Corolla) não conseguiram terminar esta prova com problemas mecânicos nas suas viaturas. Belarmino Sousa que não tem sido feliz no seu ano de estreia. O piloto, que adquiriu este ano o Corolla (Ex Francisco Tavares), não tem conseguido terminar muitas provas, devido a problemas mecânicos sucessivos. 

O Troféu de Rampas AMAK 2018 regressa a 10 de novembro, com a Rampa do Paul do Mar. Este ano, e contrariamente ao que se tem assistido nos últimos anos, não é esta a prova que encerra o troféu de rampas. A 24 de novembro, a Rampa da Camacha encerra as contas deste troféu.

Texto: Celso Teixeira 
Share on Google Plus

MaisRalis

Envie suas noticias para maisralis.madeira@gmail.com

0 comentários:

Postar um comentário