CPR, Rali Serras de Fafe: Vitória incontestável de Dani Sordo

A primeira prova pontuável para o Campeonato Nacional de Ralis de 2019 começou no dia de ontem, onde as equipas tiveram que percorrer 29.74 Km´s cronometrados divididos em duas classificativas, com duas passagens em cada uma delas. 

O piloto oficial da Hyundai dominou por completo a 1º etapa do Rali Serras de Fafe, vencendo as quatro especiais de classificação. O piloto, a bordo do Hyundai I20 R5, deixou Ricardo Moura a 18.1 segundos. Embora Moura estivesse num ritmo em que os principais candidatos ao título de campeão nacional não conseguissem acompanhar, o açoriano não conseguia chegar à luta pelo primeiro lugar. 

A luta deste piloto foi, na primeira etapa do rali, com Ricardo Teodósio. Ao fim do dia, Teodósio estava apenas a 1.5 segundos de Moura. Na Peugeot Cup Ibérica, Daniel Nunes/ Rui Raimundo eram líderes, enquanto Pedro Antunes/Paulo Lopes ocupavam o segundo lugar, a cinco segundo do líder. No dia de hoje, as equipas tiveram que percorrer 55.98 km´s de especiais cronometradas, divididas três especiais de classificação, com duas passagens em cada uma delas. Depois do ritmo frenético no dia de ontem, Dani Sordo e o seu copiloto Carlos Del Barrio voltaram a vencer todas as especiais e terminaram o rali com um minuto e 14 segundos em relação ao segundo classificado. O piloto, que veio a Fafe preparar, de uma melhor forma, o Rali do México provou o seu potencial como piloto oficial. Ricardo Teodósio/José Teixeira terminaram a primeira prova pontuável para o campeonato no segundo lugar à geral e foi o melhor português em prova. Embora tenha terminado no segundo posto, o algarvio somou a pontuação máxima, já que Dani Sordo não está inscrito no campeonato. 

Miguel Barbosa e Paulo Babo terminam o rali no terceiro lugar, segundo por entre os pilotos do campeonato nacional. O piloto da BP Ultimate Vodafona Skoda Team ainda tentou ascendeu ao segundo lugar, mas sem efeito, terminando a dez segundos de Teodósio. A dupla Ricardo Moura/António Costa, depois de ontem terem terminado a etapa na segunda posição à geral, viu, logo na primeira especial de hoje, a perder o lugar para Teodósio. Apesar de ser uma participação esporádica, o piloto açoriano conseguiu demonstrar bons andamentos e provar que “quem sabe nunca esquece”.

No quinto lugar, ficou José Pedro Fontes e Inês Ponte, com o Citroen C3 R5. No regresso ao Campeonato Nacional de Ralis, Bruno Magalhães, acompanhado por Hugo Magalhães não conseguiu acompanhar o ritmo imposto pelos seus adversários. A dupla que este ano representa a Team Hyundai Portugal termina o Rali Serras de Fafe no sexto lugar, deixando o seu companheiro de equipa, Armindo Araújo no sétimo posto. Na estreia da nova viatura, Pedro Almeida/Alberto Silva terminaram o rali no décimo lugar à geral. Este ano, o jovem piloto de Famalicão apostou num Skoda Fabia R5 e equaciona lugar pelos lugares cimeiros do campeonato.

Quem também teve um resultado positivo na estreia da nova viatura foi Miguel Correia/Pedro Alves. A equipa terminou no 13º lugar à geral numa prova em que estreiam um novo carro de uma nova categoria, o Ford Fiesta R5. Na época passada, a dupla disputou todo o Campeonato Nacional de Ralis com o Renault Clio R3. A equipa Pedro Meireles e Mário Castro, a bordo do recente Volkswagen Polo GTI R5 terminou o dia de ontem num oitavo lugar à geral. O piloto, foi o primeiro a abrir as especiais e como resultado não foi além de um oitavo lugar. Não foi um bom início de época para o piloto que, logo no Shakedown não evitou um despiste. No dia de hoje, e fruto do acidente que sofreu no Shakedown Meireles foi forçado a abandonar com problemas na caixa de velocidades. Na sua conta do Facebook, o piloto afirmou que os problemas que levaram à desistência foram provenientes do acidente de ontem.

Na Peugeot Cup Ibérica, os portugueses dominaram desde o dia de ontem os lugares cimeiros do troféu. Numa luta constante para o primeiro lugar, Pedro Antunes/Paulo Lopes levaram a melhor, tendo Daniel Nunes e Rui Raimundo que se contentar com o segundo lugar à geral. Daniel Nunes que ainda não garantiu a presença em todas as provas do campeonato devido à falta de patrocínios. Paulo Neto/Vitor Hugo levam a vitória em RC3, já que os seus principais adversários desistiram com problemas elétricos na viatura. Embora tenham vencido, este não foi um rali fácil para a equipa, já que o Citroen DS3 R3T apresentou durante toda a prova problemas mecânicos. Ainda assim, conseguiram terminar e angariaram a pontuação máxima na sua categoria. Gil Antunes/Diogo Correia mais uma vez foram forçados a abandonar com problemas elétricos no Renault Clio R3T. Já na época passada, a dupla teve os mesmos problemas em toda a época. Texto: Celso Teixeira

Share on Google Plus

MaisRalis

Envie suas noticias para maisralis.madeira@gmail.com

0 comentários:

Postar um comentário