Miguel Nunes entra a vencer no Município de São Vicente


O campeão em título Miguel Nunes, agora navegado por Roberto Castro, não poderia ter um melhor arranque de época ontem no Rali de São Vicente, pois garantiu a primeira vitória do ano de forma categórica.

Num dia em que a chuva ameaçou mas não apareceu, houve surpresa nos restantes ocupantes do pódio: o piloto da 'casa', Filipe Freitas com Daniel Figueiroa e os estreantes nestas posições nos ralis, Paulo Mendes/Roberto Figueira, ambos em Porsche.

O vencedor começou por deixar bem vincado na especial espectáculo de Ponta Delgada, disputada na noite de sexta feira, que tinha toda a vontade e os argumentos, para começar a época da melhor maneira. É verdade que após os abandonos de Alexandre Camacho/Pedro Calado, devido a um toque que levou à quebra de um amortecedor na 8.a PEC e de Pedro Paixão/João Paulo, que abandonavam na especial anterior por avaria na direcção assistida, Miguel Nunes teve a vida mais "facilitada". Mas também é verdade que, até ao abandono de ambos, Nunes detinha já uma vantagem confortável de 18,4 segundos para o segundo, que em condições normais não deveria impedir o piloto da Lotes Team de vencer com todo o mérito.

Prova disso é a vitória em nove das dez especiais da prova, contra uma vitória em especiais de Alexandre Cama-cho. Chegou a parecer fácil. Filipe Freitas não teve um início de rali fácil, pois um peão na última curva da 'super especial' fê-lo perder algum tempo. Porém, logo na primeira especial de sábado, conseguiu traduzir em tempos toda a sua mestria ao volante do seu Porsche e manteve uma luta interessante com Pedro Paixão, ganhando algumas PECs ao piloto do Peugeot 208 T16 R5.

A partir do abandono deste e de Alexandre Camacho, teve apenas de controlar o seu colega de equipa, para comemorar esta segunda posi- ção e o pódio no rali do seu concelho. Sempre com ritmos muito fortes, Paulo Mendes causou alguma surpresa na noite de sexta-feira ao alcançar o quarto melhor tempo na especial espectáculo de Ponta Delgada, mas ao longo do rali foi sempre consistente e manteve lutas muito interessantes com seu grande amigo de longa data, José Camacho, já que o seu colega de equipa Filipe Freitas acabou por tornar-se numa miragem. Um pódio merecido para um piloto que tem tido uma evolução constante.

José Camacho e Nicodemo Câmara tiveram um ritmo bem vivo e uma luta bem interessante com Paulo Mendes ao longo do rali, mas problemas na parte da manhã com a válvula pop off que controla a pressão do turbo e depois um peão também fez com que a dupla perdesse algum tempo. Não fossem estes problemas, poderiam ter lutado pelo pódio até o final.

Rui Jorge Fernandes/João Pedro Freitas foram os quinto classificados, com o piloto a sofrer ainda muitas dores no braço esquerdo que fracturou no final do ano passado, mas com gasolina normal e com apenas quatro pneus para o rali todo, admitiu que seria difícil fazer melhor. Venceu a RC3 e o Troféu Eng. Rafael Costa.

Prova menos conseguida para Rui Pinto/Ricardo Faria (6.) com problemas de motor do Ford Fiesta Rally 2, seguido por Dinarte Baptista e Rui Madeira (7.9), Ivo Sardinha/Marco Leça (8.) e Miguel Caires/João Sousa (9.9), que tiveram uma luta aguerrida pela RC4, com vitória para o primeiro por apenas 1,1s e a encerrar o top 10 ficaram Pedro Macedo e Énio An- drade. Filipe Silva/Nélio Martins (139), foram os vencedores do Troféu Eng° Rafael Costa.

REACÇÕES

MIGUEL NUNES: Não foi uma vitória nada fácil. Primeiro foram as dificuldades para montar o projecto e termos um Skoda e conseguimos. Isso deu-nos alguma vantagem por já conhecermos o carro e termos uma boa base de trabalho e com o apoio da Racing Factory consegui- mos ter um carro fantástico e gerir a prova da melhor maneira.

FILIPE FREITAS: Este segundo lugar tem quase cheiro a vitória, principalmente pelo andamento que conseguimos imprimir na parte da manhã e pelo facto de termos conseguido ombrear com o Pedro Paixão e com um R5. Por isso a equipa está toda de parabéns.

PAULO MENDES: A sensação deste terceiro lugar é muito agradável, estamos muito satisfeitos com o resultado, mesmo sabendo que beneficiamos de abandonos de outros mas os ralis são mesmo assim. Os meus parabéns à equipa e ao Filipe Freitas, porque sem eles não estaria nos ralis.

FABIANA FERREIRA (DIRECTORA DE PROVA) Correu tudo bem durante a pro- va. Não houve acidentes, cumpri- mos os horários e tanto equipas como público gostaram do figurino da prova, por isso só pode positivo. Esta minha primeira experiência na função foi positiva e espero poder repetir no futuro.

CLASSIFICAÇÃO FINAL

Fonte:[DIÁRIO NOTÍCIAS/GONÇALO LUIS]

Share on Google Plus

MaisRalis

Envie suas noticias para maisralis.madeira@gmail.com

0 comentários:

Postar um comentário